Formação em Serviço


FORMAÇÃO DE TRABALHADORES DA SAÚDE EM CONTEXTOS DE  DIVERSIDADE CULTURAL

A Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/UNIFESP)  desenvolve um programa de extensão no Parque Indígena do Xingu (PIX), Estado de Mato   Grosso, desde 1965: o Projeto Xingu. Ao longo destes anos, a EPM/UNIFESP acumulou   considerável experiência de trabalho em saúde indígena, colaborando com a execução   das ações de saúde, desenvolvendo pesquisas, formulando e experimentando modelos de   atenção e formação de sujeitos para o trabalho em saúde nas áreas indígenas.  A formação de profissionais para o trabalho em saúde indígena sempre foi uma   característica do trabalho da Escola Paulista de Medicina entre os povos indígenas do   Xingu. Desde o início das atividades em área o ensinar e aprender estavam presentes.   Inicialmente as equipes de saúde que se deslocavam para a área para atendimento médico,   cadastramento e imunização, eram compostas por professores, médicos residentes   enfermeiros e alunos de graduação da área de saúde. Durante estas viagens todos   ensinavam e aprendiam em um contexto intercultural bastante distinto do ambiente   hospitalar da Universidade.

O principal eixo de trabalho do Projeto Xingu sempre foi a formação de profisisonais de  saúde e, especialmente, dos próprios indígenas para o trabalho em saúde.