Atenção à saúde bucal no Parque Indígena do Xingu, Brasil, no período de 2004-2013: um olhar a partir de indicadores de avaliação (Pablo Natanael Lemos)

 

Resumo

A Política Nacional de Saúde Bucal redefiniu em 2011 seu modelo de atenção para os povos indígenas, preconizando o subsídio da epidemiologia e o acompanhamento do impacto das ações por meio de indicadores adequados. O objetivo deste estudo foi analisar a evolução desses indicadores, propostos pelo Ministério da Saúde, no Parque Indígena do Xingu, Brasil, no período de 2004-2013. Trata-se de pesquisa de abordagem quantitativa, com o uso de dados secundários do Distrito Sanitário Especial Indígena Xingu e do Projeto Xingu, da Universidade Federal de São Paulo. Observou-se cobertura de primeira consulta odontológica programática maior que 60% em todos os anos analisados, exceto em 2009 e 2010, cujas coberturas foram de 44,7% e 53,4%, respectivamente. O indicador de tratamento odontológico básico concluído apresentou aumento significativo, de 44,9% para 79,9%, entre 2006 e 2008. A proporção de exodontias no conjunto dos procedimentos diminuiu de 24,3% em 2004 para 3,8% em 2011. A cobertura da média da ação coletiva de escovação dental supervisionada obteve a maior variabilidade (1,2 a 23,3%) no período analisado. O acesso à saúde bucal mostrou boa cobertura e o indicador de tratamento concluído apresentou percentual mais elevado em comparação com outros povos indígenas no mesmo período. O melhor desempenho do indicador de exodontias pode decorrer de mudança no enfoque assistencial possibilitado por parcerias com universidades, ainda que os indicadores de escovação supervisionada indiquem ser necessário priorizar ações preventivas. Mudanças na gestão da saúde indígena, com fragilização ou ausência de parcerias, podem ter influenciado negativamente os indicadores do programa.

 

Abstract Objective:

to describe the prevalence of dental caries and the supply of dental care in the population of Xingu Indigenous Park, Brazil, at 5, 12 and 15-19 years old, in 2007 and 2013. Methods: cross-sectional study panel, with secondary data provided by the Indigenous Special Sanitary District of Xingu and Project Xingu. Results: 368 indigenous people were examined in 2007 and 423 in 2013; there was no significant difference between the means of the number of decayed, missing and filled teeth at 5 years (6.43 [2007], 5.85 [2013]; p=0.29), and at 12 years (2.54 [2007], 2.78 [2013]; p=0.81); this difference was significant at 15-19 years (6.89 [2007], 4.65 [2013]; p<0.01); the dental care index decreased from 21.7 to 7.1%, 44.1 to 16.4%, and 63.1 to 41.1%, respectively at 5, 12, and 15-19 years. Conclusion: the prevalence of caries remained high in children, with a reduction in adolescents (15-19 years old); there was a decrease in the supply of dental care. Keywords: Dental Caries; Oral Health; Indigenous Population; Epidemiology, Descriptive; Health of Indigenous Peoples.

 

Clique aqui para acessar o artigo em português.

 

Click here to access the article in English.

 

©2019 Projeto Xingu